terça-feira, 30 de novembro de 2010

"Concurso Folha Memória"

"A Folha e a Pfizer darão bolsas de pesquisa em História do Jornalismo."
O premiado terá o trabalho publicado em livro e ganhará um laptop.
Veja o regulamento e inscreva seu projeto no site:

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Culturas populares e culturas contemporâneas na América Latina

Entre os dias 13 e 15 de dezembro, o Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFJF recebe um convidado internacional. O professor Dr. Jorge A. González Sánchez vai ministrar curso sobre o tema “Culturas Populares e Culturas Contemporâneas na América Latina: das metáforas aos conceitos e das inspirações aos métodos de pesquisa”. O curso será ministrado das 14h às 17h, na Casa de Cultura da UFJF (AvRio Branco, 3372 – centro).
Jorge González é coordenador do Laboratorio de Investigación y Comunicación Compleja, do Programa de Epistemología de la Ciencia y Cibercultur@ e do Centro de Investigaciones Interdisciplinarias en Ciencias y Humanidades (CEIIH). O professor integra o corpo docente da Universidad Nacional Autónoma de México, localizada na Cidade do México.
Para o evento, serão oferecidas 30 vagas para inscrições de interessados que não façam parte do quadro docente ou discente do PPGCOM/UFJF (cujas vagas já são garantidas mediante inscrição prévia). As inscrições podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 14h às 17h, na secretaria do programa, ou pelo telefone (32) 2102-3603.

domingo, 28 de novembro de 2010

"Prêmio Benvirá de Literatura"

Encerra na próxima terça, dia 30, as incrições para o "Prêmio Benvirá de Literatura".
Confira o regulmento e participe!

Acesse:

sábado, 27 de novembro de 2010

Rio de Janeiro/ Brasil




Rio de janeiro. Cidade brasileira de belezas exuberantes. Onde se encontram coisas fascinantes: Pão de Açúcar; Estátua do Cristo Redentor , Praias de Copacabana, Ipanema e Barra da Tijuca, Estádio do Maracanã, Estádio Olímpico João Havelange, Floresta da Tijuca, a Quinta da Boa Vista, a ilha de Paquetá, o Réveillon de Copacabana e o Carnaval.


*É sobre esse Rio de Janeiro que eu gostaria de poder sempre falar. Quem sabe um dia...

Jens Peter Jacobsen (1847-1885)

Uma das referências mais marcantes na obra de Rilke é Jens Peter Jacobsen. Citado pelo autor nas "Cartas a um jovem poeta" como um dos melhores escritores de seu tempo, o autor dinamarquês permaneceu, contudo, pouco conhecido no Brasil.
Nascido em 1847, na cidade de Thistedt, é considerado o maior romancista dinamarquês do século XIX e fundador do movimento naturalista na literatura dinamarquesa. Estudou botânica e ciências naturais na Universidade de Copenhague e escreveu diversos artigos sobre ciência. Na universidade, tornou-se adepto das teorias evolucionistas de Charles Darwin e traduziu para o dinamarquês duas de suas mais conhecidas obras: On the Origin of Species (1871-1873) e The Descent of Man (1874). Era também admirador das idéias naturalistas e ateístas de Georg Brandes. Sua tese em botânica Aperçu systématique et critique sur les desmidiacées du Danemark foi aprovada pela Universidade de Copenhague (1872) e premiada com uma medalha de ouro pela Academia Nacional de Ciências.

Dentre suas obras literárias estão a novela histórica Fru Marie Grubbe (1876), que foi traduzida em 1917 para o inglês como Marie Grubbe - A Lady of the Seventeenth Century, e Niels Lyhne (1880, traduzido para o inglês em 1919), um romance lírico que narra a infância do menino Niels Lyhne, que passa os dias sonhando ser poeta, até as reviravoltas de sua vida adulta, incluindo temas caros à época, como o matrimônio e o ateísmo. Escreveu ainda Mogens og andre Noveller (1882, traduzido como Mogens and Other Tales, em 1921, e Mogens and Other Stories, 1994), que trata da vida de um jovem sonhador e seu amor durante a maturidade;  Et Skud i Taagen (A Shot in the Fog), cuja história trata da esterilidade do ódio e da vingança; Pesten i Bergamo (The Plague of Bergamo), que apresenta o apego humano à religião face às convocações da liberdade e Fru Fønss (1882), que conta a triste história familiar de uma viúva e seus filhos. 
Em 1873, aos 24 anos, o autor adoece e, em 30 de Abril de 1885, vivendo em condições humildes, morre de tuberculose em sua cidade natal. Além de Rainer Maria Rilke, suas obras influenciaram e foram comentadas por diversos autores ao longo do século XX, como Thomas Mann, D. H. Lawrence, Henrik Ibsen, Sigmund Freud, Hermann Hesse, Stefan Zweig e T. E. Lawrence. Suas obras também foram tema para composições musicais escritas por Schönberg e Delius.
No Brasil, é possível encontrar um ótimo ensaio sobre Jacobsen feito Otto Maria Carpeaux, chamado As nuanças de Jens Peter Jacobsen, além de estarem disponíveis na internet duas traduções para o inglês de Niels Lyhne.

Retrato do autor (1879), Ernest Josephson (1851-1906) 

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

"II Seminário de Pós Graduação em Ciências Sociais e I Seminário de Cátedra Werneck Vianna"

Tem início no próximo dia 29, na UFJF, o "II Seminário de Pós Graduação em Ciências Sociais (PPGCSO)" e o "I Seminário de Cátedra Werneck Vianna". Dentre os conferencistas da semana está o professor José Murilo de Carvalho, membro da Acadêmica Brasileira de Letras e autor de diversas obras premiadas; Francisco Weffort, ex-ministro da Cultura e autor de livros sobre democracia e política; e o sociólogo Luiz Werneck Vianna (foto acima), professor titular do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ) e coordenador do Centro de Centro de Estudos Direito e Sociedade (CEDES), além de outros nomes importantes da área, como Sergio Miceli (USP), Lilia Schwarcz (USP), Maria Arminda do Nascimento Arruda (USP), André Botelho (UFRJ), Ricardo Benzaquen (PUC-Rio e IESP-UERJ), Lúcia Lippi (CPDOC/FGV), Marcelo Jasmin (PUC-Rio e IESP-UERJ) e Maria Emilia Prado (UERJ). Além das conferências e mesas redondas, haverá apresentação de trabalhos de mestrado e doutorado de estudantes de várias instituições.

Para ver a programação completa

"III Seminário Dimensões da Política na História"

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

4º Festival de Literatura de São João Del-Rei

A escritora Ana Maria Machado é a autora homenageada na quarta edição do FELIT – Festival de Literatura de São João del-Rei, marcado para o período de 25 a 28 de novembro desse ano. Com uma vasta obra voltada principalmente para a literatura infanto-juvenil, não há aluno ou professor que não a conheça ou que não tenha lido pelo menos um de seus livros. Ela tem mais de 100 títulos publicados no Brasil e em mais de 17 países, somando mais de 18 milhões de exemplares vendidos.
Ana Maria Machado é o que se pode chamar de uma escritora de peso. Entre as premiações recebidas ao longo de mais de 33 anos de carreira estão o prêmio Hans Christian Andersen, considerado o Nobel da Literatura Infanto-Juvenil mundial, concedido à autora em 2000, e o prêmio Machado de Assis, conferido em 2001, pela Academia Brasileira de Letras. Ela, inclusive, foi eleita em 2003 para esta academia, na sucessão de Evandro Lins e Silva, onde ocupa a cadeira número 1, cujo patrono é o poeta Adelino Fontoura.

Programação completa: http://www.felit.com.br

"O Brasil não existe"

Estava buscando outra informação e descobri no site da Livraria da Folha um livro cujo título me chamou a atenção: "O Brasil não existe: Ficções e Canções" (Publifolha, 2010, 192p.).

A proposta parece interessante: oito artistas criaram contos a partir de oito músicas que foram definidas como fundamentais na história cultural do país. Entre as canções, estão: Alegria, alegria, de Caetano Veloso, Construção, de Chico Buarque e Chega de saudade, de Tom e Vinícius.

Acompanha o volume um cd com essas canções em novos arranjos criados pelo pianista André Mehmari. Se eu já não tivesse definido meus pedidos de Natal, com certeza incluiria esse volume, porque me interessa conhecer as relações entre literatura e música no Brasil.

sábado, 20 de novembro de 2010

Museu Afro Brasil


Em meio às notícias sobre o dia da Consciência Negra, descobri o Museu Afro Brasil. Situado no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega (Parque do Ibirapuera/São Paulo), o museu dedica-se "à pesquisa, conservação e exposição de objetos relacionados ao universo cultural do negro no Brasil".

Essa impronta fica evidente nos nomes da biblioteca e do teatro que o espaço do museu abriga e que são, respectivamente, Carolina Maria de Jesus (escritora que causou frenesi nos anos de 1960 com seu "Quarto de despejo") e Ruth de Souza (atriz que, diga-se de passagem, interpretou Carolina em um filme pelo que me lembro de minhas leituras).

Confesso que me causou um pouco de estranheza o fato do museu estar em São Paulo, quando temos outros estados (Minas e Bahia, para citar apenas dois) onde a influência negra foi, digamos, mais sensível. No site da instituição eles explicam o porquê e também há muito mais informação, sendo possível inclusive agendar visitas guiadas para estudantes. Vale a pena conferir: http://www.museuafrobrasil.org.br/

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Hino à Bandeira


Hoje, 19 de novembro, comemora-se o Dia Nacional da Bandeira. Desconheço se existe no Brasil algum Monumento à Bandeira como aqui na Argentina (na cidade de Rosário); mas o que sim sei que existe é um hino.

Com uma linguagem bastante grandiloquente, esse hino foi escrito por Olavo Bilac (1865-1918), dito "príncipe dos poetas brasileiros", razão pela qual o resgato para colocar neste espaço. Normalmente criticado pelo excesso de rigor formal que caracterizava a escola parnasiana, Bilac foi um autor que foi "jogado para escanteio" depois do advento do modernismo. Não obstante, acredito que existem facetas da sua obra que precisam ser estudadas, como essa da autoria do Hino à Bandeira e da militância pelo serviço militar obrigatório.

Confira a letra:

Hino à Bandeira Nacional

Letra: Olavo Bilac
Música: Francisco Braga

Salve, lindo pendão da esperança,
Salve, símbolo augusto da paz!
Tua nobre presença à lembrança
A grandeza da Pátria nos traz.

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Em teu seio formoso retratas
Este céu de puríssimo azul,
A verdura sem par destas matas,
E o esplendor do Cruzeiro do Sul.

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever;
E o Brasil, por seus filhos amado,
Poderoso e feliz há de ser.

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Sobre a imensa Nação Brasileira,
Nos momentos de festa ou de dor,
Paira sempre, sagrada bandeira,
Pavilhão da Justiça e do Amor!

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

A quem queira escutar:


quarta-feira, 17 de novembro de 2010

"O outono da Idade Média" de Johan Huizinha

Finalmente chega ao país numa primorosa edição pela Cosac Naify, traduzida diretamente do holandês por Francis Petra Janssen, o clássico da História e historiografia medieval: "O outono da Idade Média", de Johan Huizinga (1872-1945).
Apesar do preço salgadíssimo (R$ 140,00) a obra é uma caprichada edição com 320 ilustrações primorosas ao longo de suas 656 páginas com anexos, o que compensa o investimento, quer seja pela importância no contexto do pensamento e reflexão da história da cultura, quer pelas inaugurais perspectivas em aspectos até então impensados pela ciência histórica. Isto, a partir do próprio autor, um homem avesso a seu tempo e modernidade, possuidor de vasta cultura e conhecimento eruditos.
Até então os leitores de língua portuguesa contavam com uma edição vertida da inglesa pela editora Ulisseia (Lisboa-Rio de Janeiro), traduzida por Augusto Abelaira, na série "Pelican Books", da consagrada e recém chegada ao Brasil Penguin Books, porém, com o título "O Declínio da Idade Média".
Sinopse:
"Publicado em 1919, este livro é uma obra de Johan Huizinga (1872-1945), sendo publicado em mais de vinte línguas. Traduzido para o português a partir do original holandês, esta edição é resultado de pesquisas que reestabeleceram o texto original. Aqui, a Idade Média é vista na plenitude de seus contrastes, distante do lugar-comum segundo o qual ela não passaria de uma transição, longa e letárgica, entre o brilho da Antiguidade e do Renascimento. O autor mostra as formas de vida e de pensamento medievais, tal como se expressaram na cultura, na arte, na religião e no pensamento, e também nos modos de expressão da felicidade, do sofrimento, do amor e do medo da morte no dia-a-dia das pessoas. Combinando a crença no poder revelador da obra de arte e um olhar muito semelhante ao de um antropólogo, Huizinga se tornou um pioneiro do que mais tarde se denominou história das mentalidades. Com 320 ilustrações, o volume inclui ainda uma entrevista com Jacques Le Goff e um ensaio biográfico de Peter Burke."

terça-feira, 16 de novembro de 2010

"Shakespeare’s Globe" – London/ England


Theatre:

Shakespeare’s Globe Theatre is a faithful reconstruction of the open-air playhouse first built in 1599, where Shakespeare worked and for which he wrote many of his greatest plays. Each year audiences experience ‘the wooden O’ sitting in a gallery or standing as a groundling, just as they would have done 400 years ago. The annual theatre season runs from April to October, with 700 (£5) tickets available for every performance. Productions include work by Shakespeare as well as contemporary writers.

Theatre tours:

Throughout the year, a fascinating tour of the theatre is included in a visit to Shakespeare’s Globe Exhibition. The guiders bring this extraordinary space to life in a half-hour tour of the auditorium, with colourful stories of the 1599 Globe, the reconstruction process in the 1990s and how the auditorium works today as an maginative and experimental theatre space. During the matinee performances in the theatre visitors will be taken to the nearby site of Bankside’s first theatre: The Rose.

Exhibition:

Shakespeare’s Globe exhibition is the world´s largest and most comprehensive exhibition devoted to Shakespeare and the London in which he lived and worked. Housed beneath the Globe Theatre, the Exhibition uses modern technology and traditional crafts to bring Shakespeare’s world to life. Imagine the Globe as it would have been: the centre of what was once London’s most notorious entertainment district, surrounded by raucous taverns and bawdy-houses.

For full details about all activities at Shakespeare’s Globe visit:
http://www.shakespeares-globe.org/

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Fundación PROA

No colorido Caminito, situado no bairro de La Boca, em Buenos Aires, se encontra a Fundación PROA. Criada em 1996, a fundação funciona em um edifício histórico que foi reformado para sua instalação. O espaço possui quatro salas onde há sempre exposições de obras de arte e também conta com um restaurante e uma livraria.

PROA funciona de terça-feira a domingo, das 11h às 19h. Não há taxa para o acesso à livraria e ao restaurante. Salvo engano de memória, cobram $ 10 (dez pesos, aproximadamente R$ 5,00), para acesso às exposições.

Para mais informação, acesse: http://www.proa.org/esp/

domingo, 14 de novembro de 2010

"1ª LITERATA" Feira Literária de Sete Lagoas, MG

"De 17 a 20 de novembro, Sete Lagoas promoverá o primeiro festival de literatura da cidade, a “Literata”, que acontecerá no Centro Cultural Nhô-Quin Drummond. A Literata é um evento promovido pela Iveco, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet). A mostra literária conta também com a curadoria do jornalista e escritor Jorge Fernando dos Santos, além da curadoria local do professor Sérgio Antônio, da UNIFEMM. Em sua primeira edição, a Literata homenageia o escritor mineiro Guimarães Rosa, um dos maiores expoentes da literatura da língua portuguesa. Durante quatro dias, o universo do imortal autor de “Grande Sertão: Veredas” será amplamente debatido por outros autores. Além das obras, os convidados pretendem discutir como anda a produção literária brasileira. "
Infelizmente o evento não possui um site ou blog oficial.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

I Simpósio Internacional: "As doutrinas não Escritas de Platão"

"O Programa de Pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGF/UFRJ), com o apoio da Sociedade Brasileira de Platonistas (SBP), do Grupo Archai: As origens do Pensamento Ocidental (Archai-UnB), do Laboratório OUSIA de Estudos em Filosofia Clássica, do Núcleo de Estudos em Filosofia Antiga (NEFA-UFU) e do Laboratório Noesis de Filosofia Antiga (Noesis-UERJ), promovem o I Simpósio Internacional As doutrinas “não-escritas” de Platão.
O evento – que contará com a presença de alguns dos mais destacados estudiosos em nível nacional e internacional – será realizado na cidade do Rio de Janeiro (UFRJ): um posto estratégico para a divulgação e debate dos elementos que envolvem as “Doutrinas não-escritas” de Platão, um aspecto certamente não “acessório”, visto ser composto, entre outras coisas, pelo eixo de sustentação de todo o seu pensamento, qual seja, a teoria dos Princípios supremo da realidade."
Acesse:

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

"José e Pilar"

"Sempre chegamos ao sítio aonde nos esperam."
José Saramago

Estreiou na última sexta-feira, aqui em JF, o documentário do diretor português Miguel Gonçalves Mendes, "José e Pilar", que conta a história de José Saramago e sua esposa, a jornalista espanhola Pilar Del Río tendo como eixo a construção e o lançamento do livro "A viagem do elefante". A co-produção feita por Brasil, Portugal e Espanha contou ainda com a participação de Fernando Meireles e da produtora El Deseo, de Pedro Almodóvar.
Defini-lo como um "documentário de amor" talvez não seja adequado para compreender tudo o que na tela se passa. Sim, o dia-a-dia dos dois é mostrado, com uma ternura discreta e real, bem longe daquele ensaiado olhar para as câmeras. Mas há também um Saramago abatido, gasto ao longo da vida e que às vezes desperta a sensação de o estarmos incomodando por estarmos ali, a observá-lo. Acima de tudo há graça, muita graça causada pelo modo casmurro e português de Saramago, seja quando ensaia uma resposta para o Dalai-Lama, seja quando é solicitado a enviar uma mensagem de natal aos mexicanos durante uma entrevista ou quando fala para três estudantes em sua biblioteca em Lanzarote. Há sempre uma paciência imensa, uma tolerância com a vida e uma não conformidade que estão impregnadas em cada cena. É também possível descobrir uma fascinante Pilar que, em seu contraste com José, torna a história ainda mais bonita. A mágoa por Portugal está explícita, mas não é repisada por Saramago, apenas discretamente notada com o espírito de quem já viveu o suficiente para compreender.
A trilha sonora que acompanha o filme é belíssima, se adequa perfeitamente ao clima das histórias e aparece nos momentos certos. 


Fotografia como obra de arte - Andrzej Dragan

Não sei se aqui alguém se interessa por fotografia, mas como foi umas das disciplinas que aprendi na faculdade, meus interesses permeiam essa forma de arte. Dias desses deparei-me com o trabalho de um artista, que me deixou desconcertada. Trata-se do trabalho do polonês Andrzej Dragan, que utiliza uma técnica de manipulação fotográfica digital chamada Dragan Effect. Essa técnica é dotada de características singulares, que mesclam elementos de pintura, fotografia e ampla manipulação digital. Por mais que hoje se discuta que a fotografia digital trouxe a perda da “aura” que era mantida pela analógica, uma vez que o real pode ser modificado de acordo com a vontade do fotógrafo, senti nesse artista a busca por fazer de suas fotografias um trabalho artístico, já que as imagens produzidas por Dragan são elaboradas com paciência e meticulosidade.

“Eu tiro muitas poucas fotos e muito rapidamente, não fico procurando por pessoas ou fotografias o tempo todo. [...] Esse é apenas o começo do processo. Eu gasto muito tempo trabalhando no material, posso demorar até um mês para editar uma única foto - como aconteceu recentemente com a foto de um famoso ator, Mads Mikkelsen (ver ao lado). Eu fiquei a maior parte do tempo olhando e pensando e, comumente, após muitas horas eu me sinto preparado para escolher quais daqueles retratos que tirei eu irei utilizar. É aí que o processo de pós-produção digital começa. Em algumas características esse método lembra uma pintura, porque é como se fosse um pincel - só que digital. Eu procuro não adicionar novos elementos, eu aproveito e ressalto alguns aspectos da imagem”, afirma Andrzej.
Nas suas fotografias, não há obrigatoriedade em se representar o real, o que amplia as possibilidades criativas, mostrando um tênue limite entre o objeto fotografado e aquilo que foi criado. Confiram vocês mesmos em matéria completa e no site do fotógrafo, um pouco da inventividade do artista.

A questão étnica na literatura e música brasileiras

Posto aqui um texto que apresentei na aula de "Historia social, política y económica latinoamericana" da Universidad Nacional de Villa María (e que, por suposto, está em castelhano) no qual tento mostrar uma visão da questão racial no Brasil através de um recorrido histórico que toma como ponto de partida a literatura e a música dos séculos XIX e XX.

Acredito que cada brasileiro que viaja deve, de alguma maneira, apresentar um Brasil que seja mais que o Brazil das películas estadunidenses e das novelas.


Literatura y música brasileñas como indicadores de la identidad nacional

Este trabajo tiene por objetivo presentar las distintas visiones que los artistas brasileños tienen de su país como tierra de múltiples razas a partir de la lectura crítica de romances, poemas y canciones que forman parte del imaginario común del país.

1. Primeras ideas de nación mestiza: el país como fruto de la unión de blancos e indios. Literatura de conformación del imaginario colectivo.

En 1873, el escritor brasileño Machado de Assis, señalaba en un texto (“Instinto de nacionalidade”) que se hizo antológico:

“quem examina a atual literatura brasileira reconhece-lhe logo, como primeiro traço, certo instinto de nacionalidade. Poesia, romance, todas as formas literárias do pensamento buscam vestir-se com as cores do país, e não há como negar que semelhante preocupação é sintoma de vitalidade e abono de futuro.”

Lo que se puede desprender de las palabras del autor de “Dom Casmurro” es que la literatura brasileña a partir, sobretodo, del siglo XIX, estaba preocupada en establecer un legado cultural que tuviera la apariencia de nacional. El proyecto literario de los autores era constituir un patrimonio simbólico que después fuese convertido en herencia para las generaciones futuras. Existía la intención de poblar un imaginario colectivo con mitos, imágenes, héroes...

"Balada Literária 2010"

Em 2010 "A BALADA LITERÁRIA completa cinco anos e se consolida como um dos mais importantes e descontraídos eventos literários do país, com quase uma centena de artistas, nacionais e internacionais, em mesa de debate, em mesa de bar, no palco, trocando ideias, festejando lançamentos.
A homenageada desta edição é a escritora paulistana LYGIA FAGUNDES TELLES, que tem toda a sua obra relançada pela Companhia das Letras. O evento tem no escritor pernambucano Marcelino Freire, seu criador e organizador, ao lado da Livraria da Vila e da Ato Cidadão e com o apoio da Biblioteca Alceu Amoroso Lima, Centro Cultural b_arco, Edith, Itaú Cultural, Goethe-Institut, SESC Pinheiros, Teatro Brincante, Teatro da Vila e do bar Mercearia São Pedro na cidade de São Paulo.
A BALADA LITERÁRIA já reuniu, entre outros, Adélia Prado, Angeli, Chico César, Cristovão Tezza, David Toscana, Efraim Medina Reyes, Francisco Alvim, João Gilberto Noll, João Ubaldo Ribeiro, José Luandino Vieira, José Luís Peixoto, Luis Fernando Verissimo, Laerte, Mário Prata, Paulo Lins entre outros.
De 18 a 21 de novembro, estarão na Vila Madalena Alberto Manguel, Antonio Nóbrega, Alice Ruiz, Augusto de Campos, Beth Goulart, Botika, Cid Campos, Emicida, Eunice Arruda, Jorge Furtado, José Castello, Luiz Antonio de Assis Brasil (que coordenará oficina de criação), Marcelo Rubens Paiva, Siba e Vitor Ramil, etc. Destaque para a homenagem que será feita ao editor Massao Ohno, ao poeta Roberto Piva e ao escritor e ator Alberto Guzik, mortos este ano. E também, a apresentação da peça "Los Críticos También Lloran", baseada na obra do chileno Roberto Bolaño e encenada por um grupo que reúne autores/atores espanhóis e venezuelanos, e a presença do escritor alemão Ulrich Peltzer, que inaugurará a parceria da BALADA LITERÁRIA com o Goethe-Institut.
Acesse:

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Franz Xaver Kappus (1883-1966)

Não terá passado desapercebido aos leitores mais atentos uma curiosidade: quem foi, afinal, o destinatário das cartas de Rilke? De maneira mais imediata, só o que se sabe é que trata-se de Franz Xaver Kappus, um jovem aspirante a poeta que, em 1902, ao descobrir a coincidência de estudar no mesmo colégio onde, 15 anos antes, Rainer Maria Rilke havia estudado, resolve enviar-lhe uma carta com seus poemas para que estes sejam avaliados e ele possa ter confirmada ou não sua vocação literária.
É verdade que não é fácil descobrir muito mais sobre essa figura semi-desconhecida, uma vez que nem mesmo suas cartas ao poeta sobreviveram e, com isso, ficamos restritos ao conselhos de Rilke ao jovem Kappus. Porém, com algum esforço, e mesmo sem ler uma palavra em romeno (!!), consegui descobrir alguma coisa.
Franz Xaver Kappus nasceu na cidade de Timisoara, na Romênia, em 17 de maio de 1883 e estudou no colégio Sankt Pölten entre 1902 e 1908. As respostas a suas cartas escritas por Rilke foram publicadas pela primeira vez em 1929, em alemão, e somente em 1977 o livro foi publicado em romeno, pela Editora Timisoara Facla, com tradução de Ulvine e John Alexander. Os primeiros poemas de Kappus foram de matiz expressionista e mais tarde, além de escritor, viria a se tornar jornalista.
Durante a Primeira Guerra Mundial, Franz combateu como oficial do exército austro-húngaro e continuou trabalhando com o jornal literário Nachrichten Belgrader (Notícias de Belgrado).
Atuou inicialmente como combatente, mas depois foi nomeado assessor de imprensa.
Em 1918, a editora Ullstein & Co., de Berlim, publicou seu romance Die Vierzehn lebenden (Os quatorze sobreviventes).
No início de 1920, tornou-se editor do jornal Deutsche Wacht, que depois mudou seu título para Banater Tagblatt. Ao mesmo tempo, trabalhou no mais importante jornal da capital de Banat, o Temeswarer Zeitung e no saxão Volkspresse Suábia.
Publicou vários contos, desenhos e novelas. Em 1921 surgiu seu mais importante romance, Die im Peitsche Antlitz (algo como "Chicote no rosto") e, em 1922, Der Rote Reiter (O Cavaleiro Vermelho).
Em 1925 Kappus se estabeleceu em Berlim e publicou vários romances para o entretenimento, sem sérias pretensões literárias. Em 1935, publica o romance Brautfahrt Lena, sobre suas experiências em Timisoara.
Baseado em seu romance Der Rote Reiter, Kappus escreveu também o roteiro de um filme que leva o mesmo nome, realizado em 1934-1935 pelo diretor alemão Rolf Randolf.
Após a Segunda Guerra Mundial, o escritor tornou-se co-fundador do Partido Democrático Livre de Berlim e, em maio, publicou seu último romance, Flucht in die Liebe (Fuga para o amor), que trata da resistência anti-fascista.
O aspirante a poeta que deu oportunidade às cartas de Rilke morreu em 09 de outubro de 1966, em Berlin.
A partir destas informações não é possível saber exatamente quais são os acontecimentos da vida que o levaram para tão longe de onde Rilke havia indicado, mas se alguém conseguir ler romeno, aqui está uma obra que deve dar mais informações sobre o missivista, "Franz Xaver Kappus (1883-1966): Osterreichischer Offizier Und Deutscher Schriftsteller" (2006), de Kurt Adel. Como não encontrei nenhuma foto de Kappus, resolvi ficar com a capa do livro.

Muito Além do Cidadão Kane (Beyond Citizen Kane)


Aproveitando o clima político no Brasil - com toda essa questão (festa? brincadeira?) de eleições - o qual provavelmente ainda está causando enjôo em muita gente, eu gostaria de indicar um documentário a vocês, que eu considero interessante de ser conhecido.

Beyond Citizen Kane (no Brasil Muito Além do Cidadão Kane) é um documentário televisivo britânico de Simon Hartog exibido em 1993 pelo Channel 4, uma rede televisiva pública do Reino Unido. Ele mostra as relações entre a mídia e o poder político no Brasil. Embora o documentário tenha sido censurado pela justiça, a Rede Record comprou os direitos de transmissão exclusiva, por 20 mil dólares do produtor John Ellis.

A obra detalha a posição dominante da Rede Globo na sociedade brasileira, debatendo a influência do grupo, seu poder e suas relações políticas, que os autores do documentário vêem como manipuladoras e formadora de opinião. O ex-presidente e fundador da Globo Roberto Marinho foi o principal alvo das críticas do documentário, sendo comparado a Charles Foster Kane, personagem criado em 1941 por Orson Welles para Cidadão Kane, um drama de ficção baseado na trajetória de William Randolph Hearst, magnata da comunicação nos Estados Unidos da América. Segundo o documentário, a Globo empregaria a mesma manipulação grosseira de notícias para influenciar a opinião pública como fazia Kane no filme. O documentário apresenta depoimentos de destacadas personalidades brasileiras, como o cantor e compositor Chico Buarque de Hollanda que na época tinha um programa na emissora, os políticos Leonel Brizola e Antônio Carlos Magalhães, o ex-Ministro da Justiça Armando Falcão, o publicitário Washington Olivetto, o escritor Dias Gomes, os jornalistas Walter Clark, Armando Nogueira e Gabriel Priolli e o atual presidente do Brasil Luís Inácio Lula da Silva.

National Gallery – London/ England


The National Gallery displays one of the finest and most comprehensive collections of European painting. It includes many famous works, such as van Eyck’s Arnolfini Portrait, Velázquez’s Rokeby Venus, Turner’s Fighting Temeraire and Van Gogh’s Sunflowers. All major traditions of Western European painting are represented from the artists of late medieval and renaissance Italy to the French Impressionists.

The painting in the National Gallery belong to the public and entrance to see them is free. The Gallery was founded in 1824, but it did not acquire its current home, designed by William Wilkins, until 1838. The site in Trafalgar Square was chosen for its central location, accessible to both the rich of West London and the poorer communities of the East End. The building has been extended and improved over the years, most notably in 1991 with the opening of the Sainsbury Wing, designed by Venturi, Scott Brown & Associates. The Gallery continues to ensure that the widest possible public can enjoy the paintings.

There you can see also:

- Leonardo

- Michelangelo

- Raphael

- Caravaggio

- Rubens

- Goya

- Monet

and much more.


More informations:

www.nationalgallery.co.uk

Das Untere und Obere Schloss, das Siegerlandmuseum, Johann Moritz von Nassau-Siegen und Peter Paul Rubens – Siegen/ Deutschland



Das Untere Schloss wurde in Siegen zwischen 1695 und 1720 als Residenz der evangelischen Fürsten zu Nassau-Siegen errichtet. Erste Entwürfe zum Bau der Anlage stammen aus der Feder von Johann Moritz, Fürst von Nassau-Siegen. Johann Moritz diente der Republik der Vereinigten Niederlande u. a. als Gouverneur von Niederländisch Brasilien. Seine sterblichen Überreste und die seiner Familienangehörigen sind in der Fürstengruft beigesetzt, die in die Schlossanlage eingebunden ist. Es gibt auch das Obere Schloss in Siegen. Er wurde 1259 erstmals urkundlich erwähnt und war im Mittelalter die Stammburg der Nassauer. Das Dachgeschoss des Schlosses ist der Geschichte der Wohnkultur des 19. Jahrhunderts gewidmet. Eine Siegener Küche, eine Schlafstube, Biedermeiermöbel und Gemälde vermitteln einen realistischen Eindruck vom Leben in der Region. Seit 1905 beherbergt in diesem Schloss das Siegerlandmuseum, ein Regionalmuseum für Kunst und Kulturgeschichte. Neben einer umfangreichen Porträtsammlung der Nassauer und Oranier stellt es auch Gemälde und Grafiken des in Siegen geborenen Barockmalers Peter Paul Rubens (1577-1640) aus. Gezeigt werden neun Gemälde dieses flämischen Meisters, der sich in allen Sparten der Künste übte.

--

O Untere Schloss (castelo de baixo) foi construído em Siegen entre 1695 e 1720 como Residência dos príncipes evangélicos de Nassau-Siegen. O primeiro esboço para a construção da estrutura derivou da própria pena de João Maurício, príncipe de Nassau-Siegen. Ele serviu a república das Holandas Unidas, entre outras, e como governador do Brasil Holandês. Seus restos mortais e os de sua família foram colocados na sepultura dos príncipes, a qual está integrada ao castelo. Também há o Obere Schloss (castelo de cima) em Siegen. Ele foi registrado pela primeira vez em 1259 e foi na idade média um castelo de uso regular da família Nassau. A parte de cima do castelo foi consagrada à história da cultura local do século 19, uma cozinha típica de Siegen, uma sala de dormir, alguns móveis simples e pinturas, intermediadas por uma impressão realista da vida na região. Desde 1905 aloja-se neste castelo o Museu de Siegen, um museu regional para arte e história da cultura. Ao lado de uma extensa coleção de retratos da família Nassau e da família Oranien, são exibidos também quadros e pinturas do pintor barroco, nascido em Siegen, Peter Paul Rubens (1577-1640). São mostrados nove quadros deste mestre flamengo, que se exercitou em todos os tipos de gêneros das Artes.

Mehr Informationen/ Mais informações:
http://www.siegen.de/standard/page.sys/32.htm

Concursos Literários com inscrições abertas

Aos que se aventuram pelo universo da escrita, três concursos literários estão com inscrições abertas, sendo uma boa oportunidade para novos escritores mostrarem seu talento. O I Concurso de Poesias Revista Literária – Edição 2010 está sendo promovido pelo Portal Revista Literária, juntamente com o Sindicato dos Escritores do Distrito Federal e a  Scortecci Editora. É voltado para autores brasileiros, maiores de 16 anos, residentes no Brasil. O concurso tem por objetivo descobrir novos talentos na poesia e promover a literatura brasileira. O tema é livre e a inscrição pode ser feita gratuitamente até o dia 30 de novembro. O prêmio consiste na Publicação da poesia em Antologia. Para outras informações sobre a inscrição, clique no site Revista Literária.
   O Prêmio Benvirá de Literatura Ficção 2010 tem como propósito revelar novos talentos e promover a literatura nacional. Com a finalidade de estimular a produção e divulgação das obras de escritores brasileiros, a Editora Saraiva institui o concurso, que também abre uma porta do mercado editorial aos estreantes: o livro selecionado será publicado e distribuído em todo o país. Autores já publicados ou não, de nacionalidade brasileira, poderão participar inscrevendo uma obra inédita de ficção, de tema livre escrita em língua portuguesa. As inscrições vão até o dia 30 de novembro e devem ser feitas no site da Benvirá.
   Estão também abertas as inscrições para o 7º Prêmio Barco a Vapor 2011 de Literatura Infantil e Juvenil organizado pelo Grupo SM. O prêmio é aberto a maiores de 18 anos, de todas as nacionalidades, para autores de obras literárias para o público infantil e juvenil. O prêmio contempla os gêneros romance, novela e narrativa curta (texto único). Obras em verso, peças de teatro e coletâneas de contos não serão aceitos. Inscrições até 30 de dezembro. Outras informações clique aqui.
 

terça-feira, 9 de novembro de 2010

II Mostra de Cinema de Bordas de Juiz de Fora

Começa nesta terça-feira, dia 9, a II Mostra de Cinema de Bordas de Juiz de Fora. O evento é promovido pela Pró-Reitoria de Cultura (Procult) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e traz produções audiovisuais de diversas localidades do Brasil.

Criado pela professora e pesquisadora Bernadette Lyra, o conceito de cinema de bordas compreende as obras que fogem dos padrões da indústria cinematográfica. Feitos de forma independente, as produções costumam circular pela internet ou por meio de fitas VHS e DVDs exibidos dentro das comunidades onde foram gravadas as histórias.

A II Mostra de Cinema de Bordas vai até a próxima quinta-feira, dia 11, com atividades no Museu de Arte Murilo Mendes (Mamm), localizado na Rua Benjamin Constant 790, no Centro, e no Instituto de Artes de Design (IAD), no Campus da UFJF. A entrada é gratuita.

Para saber mais, acesse: http://www.ufjf.br/dircom/?p=33096. Nesta página, de onde tiramos o texto desta postagem, também se pode conferir a programação do evento.

O tupi-guarani em seu desenvolvimento histórico

Foi apresentado em Assunção (Paraguai) o livro "Comparación del desarrollo histórico del Tupí-Guaraní en el Brasil y en Paraguay" (Comparação do desenvolvimento histórico do Tupi-Guarani no Brasil e no Paraguai, em tradução livre ao português), da linguista alemã María Agnes Härdle. A autora nasceu na Alemanha e quando tinha dois anos seus pais se mudaram para o Paraguai, onde aprendeu a falar guarani. Falava em alemão com seus pais e guarani com as outras crianças. Só começou a falar castelhano depois de entrar na escola.

Este livro é uma "tesina" que versa sobre o aspecto diacrônico da língua guaraní. Comprime e atualiza a história recente da mesma; desde o descobrimento de América pelos europeus até os dias de hoje.

María Agnes Härdle afirma que na época da Colonia não existia a diferença entre o guarani paraguaio e o guarani brasileiro, hoje denominado como tupi, como consequência da Guerra da Tríplice Aliança.

(...) Este trabalho vem a destacar que as diferenças entre tupi e guarani não são mitológicas, como sempre se ensinou, mas sim que existen mais ou menos 14 causas comprovadas que se referem às diferenças entre as formas de falar guarani que existem nos dois países.

Tradução livre de: "El Tupí-Guaraní en su desarrollo histórico". Para ler na íntegra o texto original (em castelhano), acesse: http://www.elcastellano.org/noticia.php?id=1567

Cadernos EntreLivros: "Panorama da Literatura Alemã"

A saudosa e extinta revista ENTRELIVROS (Duetto) dando prosseguimento a uma série de Cadernos contendo o Panorama de literaturas nacionais com a proposta de efetuar uma análise crítica de autores e obras primas com sinopses, perfis de personagens, traduções comparadas, dedicou o n° 8 ao Panorama da Literatura Alemã.
Nele estão os principais nomes e claro, o nosso autor deste mês: Rainer Maria Rilke.
Acesse:

domingo, 7 de novembro de 2010

"Clube de Autores"

"O Clube de Autores é o primeiro site brasileiro que permite a publicação gratuita de livros de forma 100% sob demanda. Em outras palavras, você, autor, pode subir o seu livro, determinar quanto deseja ganhar por venda e disponibilizá-lo na loja sem pagar absolutamente nada por isso.
Uma vez lá, todo e qualquer usuário pode adquiri-lo via comércio eletrônico. Quando o livro é comprado, o pedido vai diretamente para a gráfica, que imprime um a um, dá o acabamento final e despacha para o comprador – sendo que o autor recebe os direitos autorais após acumular-se um montante mínimo, de R$ 100,00."
Acesse:

sábado, 6 de novembro de 2010

CONCURSO DE VÍDEO ESCOLAR 8 E MEIO

O concurso de Vídeo Escolar 8 e Meio, é considerado o maior evento português no âmbito dos concursos de cinema realizados no contexto escolar. Tem (além de parcerias eventuais), o apoio da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim e da DREN/Ministério da Educação. Estabelece também um habitual contacto com o Festival de Curtas Metragens de Vila do Conde e com a Animar, que promove anualmente uma sessão com uma selecção dos filmes apresentados.
O vídeo que se segue, apresenta o vencedor do 1º Prémio na categoria de Filmes de Animação pertencente a este ano.


COZIDO À PORTUGUESA from 8 e Meio on Vimeo.
8 e Meio 2010
1º Prémio Animação

Natália de Azevedo Andrade

EA Soares dos Reis - Porto

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Rainer Maria Rilke (1875-1926)

Rainer Maria Rilke, considerado um dos maiores nomes da literatura em língua alemã, nasceu em Praga, então sob domínio austríaco, em 04 de Dezembro de 1875. Seus pais se separam ainda durante sua infância e Rilke fora destinado à carreira militar, chegando a ser internado em academias militares, dentre elas o colégio Sankt-Polten, onde também viria a estudar seu ilustre leitor, Franz Xaver Kappus (1883-1966). Após a conclusão da formação básica neste colégio, seguiu para o curso superior para sua formação como oficial, ocasião em que foi constatada sua inaptidão física (e vocacional) para a vida militar. Cursou a Academia de Ciências em Linz e tentou ainda alguns estudos de comércio, até ir estudar Arte e Literatura em Praga e dedicar-se à atividade de escritor. Escreveu inicialmente poemas considerados medíocres e que em nada sugeriam o grande poeta que viria a se tornar. Em Munique, onde leu a obra de Jens Peter Jacobsen e conheceu Lou Andreas-Salomé (com quem viria a ter um relacionamento amoroso), alcançou certo amadurecimento literário. Ainda no final do século XIX, fez suas primeiras viagens à Itália e também à Rússia, à convite de Lou. Durante suas viagens à Rússia (1889-1900), concebeu algumas das histórias que o tornariam célebre: “Histórias do Bom Deus”(1900), a parte inicial de “Livro das Horas” (1905) e “Canção de Amor e de Morte do Porta-estandarte Cristóvão Rilke” (1899). Em Worpswede, casa-se com a escultora Clara Westhoff e começa a conviver com diversos pintores impressionistas. Seu casamento dura pouco e, e mudando-se para Paris, torna-se secretário de August Rodin e escreve o “Livro das imagens” (1902). A influência de Rodin sobre suas obras é sentida em especial na coletânea “Novos Poemas” (1907-1908). É também em Paris e sua vivência da última década do século XIX que marcarão se romance “Os cadernos de Malte Laurids Brigge” (1910), uma das primeiras obras modernas do gênero em língua alemã.
Entre 1911 e 1914 viaja à Argélia, à Tunísia, ao Egito e à Espanha, até ir morar no castelo de Duino, perto de Trieste, o que o inspiraria a escrever suas “Elegias a Duino” (1923). A partir de 1919, fixa-se na Suíça, onde conclui suas “Elegias” e escreve “Sonetos a Orfeu”. O autor morre em Valmont, na Suíça, em 26 de Dezembro de 1926, após o prolongado sofrimento causado por uma leucemia.
A repercussão de suas obras e sua influência sobre outros autores será assunto para uma outra postagem.
-------
Fonte:
Theodor, E. (1980). A literatura alemã. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.
Caeiro, O. (1983). Oito séculos de poesia alemã. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

"Fliporto 2010"

Em sua sexta edição, a FLIPORTO, acontece de 12 a 15 de novembro dedicada ao debate da literatura e dos caminhos que formaram a nossa cultura e galgaram nossas raízes. "Com os poetas, romancistas, ensaístas e cronistas desvendamos continuamente o reflexo máximo daquilo que é a cultura literária brasileira e estabelecemos o verdadeiro vínculo entre o que somos e o que seremos.
Essa é a principal proposta da Fliporto 2010."
Neste ano, o encontro - que deixa o balneário Porto de Galinhas para se intitular Festa Literária Internacional de Pernambuco – presta homenagem à escritora Clarice Lispector e além da mudança de nome, a Fliporto 2010 muda de residência coerentemente migrando para Olinda, cidade patrimônio histórico e cultural da humanidade.
Sob o tema "Literatura e Presença Judaica no Mundo Ibero-americano", a sexta edição recebe entre os nobres ‘marinheiros’ os autores brasileiros Arnaldo Niskier e Moacyr Scliar. Entre os especialistas em Clarice Lispector estão os biógrafos Nádia Gotlib e o americano Benjamin Moser, esse último responsável por “Clarice,”, lançado em 2009. Além deles há os nomes de François Jullien, Marck Dery, Camille Paglia, Ricardo Piglia, Alberto Manguel, Richard Zimler, Ronaldo Vainfas, Contardo Calligaris, Ronaldo Wrobel, Adriana Armony e Guilherme Fiúza, mais os pernambucanos José Luiz Mota Menezes e Luzilá Gonçalves.
Cinema, artes plásticas, música e tecnologia também encontram amplo debate na Fliporto 2010. Acesse:

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

ENTREVISTA: Poesia é Gagueira da Alma

  Hernany Tafuri é um dos novos escritores que desponta no cenário juizforano. Autor dos livros “Vertigens do Tempo” (2008) e “(Quebrando) Objetos inúteis” (2010), sua produção literária transita pela poesia, com forte inspiração em Carlos Drummond de Andrade. Por esse motivo, o poeta se diz gago, pois transforma a palavra alheia em sua. Essa é também a explicação para o título do seu blog Ga-gueira da alma (http://gagueiradaalma.blogspot.com/), espaço onde publica seus textos. Sofre influências ainda de outros poetas como Ferreira Gullar, além de Paulo Leminski e Arnaldo Antunes, levando-o a se arriscar pelo estilo hai kai, que lhe dá a possibilidade de dizer tudo num mínimo espaço. Para conhecer mais de sua trajetória, influências e o significado da poesia em sua vida, confira a entrevista que o blog Palimpsestos fez com o poeta. 

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Museo del Cabildo de Buenos Aires

Nestes dias em que a morte do ex-presidente Néstor Kirchner surpreendeu os argentinos e que a mídia mostrou todo o velório que ocorreu na Casa Rosada, sede do governo nacional argentino; chamo a atenção para o prédio que está ao outro lado da histórica Plaza de Mayo.

O Cabildo de Buenos Aires (foto) é um edifício no qual uma parte importante da História de nossos "hermanos" foi construída. Em 1810 foi a sede da reunião da primeira Junta Governativa criada depois da Revolução de Maio, evento que deu início ao processo de Independência do país platino.

Em suas instalações funciona atualmente um museu que visitei quando de minha passagem pela capital argentina em meados de setembro. Lamentavelmente me perco entre as tarefas acadêmicas e a preparação de textos para o blog, gerando um lapso de tempo entre a visão dos locais e o relato sobre sua existência. Peço desculpas aos leitores por isso.

Voltemos ao Cabildo: a entrada para o museu é de $ 4,00 (quatro pesos, aproximadamente R$ 2) e vale a pena pagá-la, mesmo não sendo autorizado tirar fotos - o que, aliás, é uma regra em quase todos os museus e que os argentinos cumprem à risca.

Neste ano de 2010, no marco do Bicentenário da Independência, o museu exibe painéis temáticos nos quais são descritas as etapas do processo independentista. Também é possível ver móveis e utensílios de uso pessoal dos governadores e funcionários da Coroa Espanhola que transitaram pelo Cabildo ao longo do período colonial.

Para mais informações: 00-54-11-43434387, 00-54-11-4342-6729 ou 00-54-11-43341782