quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Latino vence prêmio Nobel de Literatura

O escritor peruano Mario Vargas Llosa é o vencedor do prêmio Nobel de Literatura 2010. Nascido em 1936, em Arequipa, no Peru, Llosa é professor universitário, acadêmico e político, sendo uma personalidade intelectual de grande vulto e um dos mais importantes escritores da América Latina e do mundo.
A escolha da obra Llosa foi motivada pela "cartografia das estruturas do poder e suas afiadas imagens da resistência, rebelião e derrota do indivíduo", segundo os organizadores do Nobel. Vargas Llosa é reconhecido mundialmente pela minuciosa descrição social em seus livros, ricos nas descrições dos personagens e com panos de fundo de conteúdo engajado, que por diversas vezes abordam aspectos da história recente latino-americana e principalmente, peruana. Foi galardoado com muitos dos mais destacados prêmios literários internacionais, entre eles o Prêmio PEN/Nabokov, o Prêmio Cervantes, o Prêmio Príncipe das Astúrias e o Prêmio Grinzane Cavour.
Entre sua vasta obra estão “A Cidade e os Cães” (Prémio Biblioteca Breve, 1962; Prémio da Crítica Espanhola, 1963), “A Casa Verde” (1967 – Prémio Nacional do Romance do Peru, Prémio da Crítica Espanhola, Prémio Rómulo Gallegos), “Conversa na Catedral” (1969), “Pantaleão e as Visitadoras” (1973), “A Tia Júlia e o Escrevedor” (1977), “A Guerra do Fim do Mundo” (1981; Prémio Ritz-Hemingway – 1985), “História de Mayta” (1984), “Quem Matou Palomino Molero?” (1986), “O Falador” (1987), “Elogio da Madrasta” (1988), “Lituma dos Andes” (Prémio Planeta, 1993), “Como Peixe na Água” (1993), “Os Cadernos de Dom Rigoberto” (1997), “Cartas a Um Jovem Romancista” (1997), “A Festa do Chibo” (2000) e “Travessuras da Menina Má” (2006).
O Prêmio Nobel na América Latina
Concedido desde 1901, é atribuído a um autor de qualquer nacionalidade quetenha se destacado pelo conjunto de sua obra, tendo criado uma distinção por seus principais livros, sua mentalidade, seu estilo e suas filosofias, não distinguindo uma obra em particular. Mário Vargas Llosa é o sexto latino a conquistar tal premiação, sendo seus antecessores Gabriela Mistral (1945 – Chile), Miguel Astúrias (1967 – Guatemala), Pablo Neruda (1971 – Chile), Gabriel García Márquez (1982 – Colômbia), Octávio Paz (1990 – México) .
Há que se observar que o prêmio Nobel de literatura, por ser o mais importante do mundo, não está imune a conflitos de interesses entre países hegemônicos nem à conjuntura internacional, o que se constata em relação a autores que injustamente não foram premiados pela Academia Sueca como os argentinos Jorge Luis Borges e Julio Cortázar entre outros. O mesmo se observa com relação à não premiação de Joyce, Proust e Nabokov. Dessa vez uma injustiça foi corrigida ao laurear o mais importante narrador hispano-americano vivo: Mario Vargas Llosa.
Confira entrevista com Mário Vargas Llosa aqui.

8 comentários:

Felipe disse...

Eu li o título do post e levei um susto. Será que ele ganhou pela música festa no AP?

Ufa!!! Foi só um susto

Carolina disse...

Seria melhor "Latino-americano vence prêmio Nobel..."? huahuaahuaha!

Ailton Augusto (in Argentina) disse...

Uma correção: Pablo Neruda é chileno. E entre as injustiças da Academia Sueca, eu incluo a de não haver premiado até hoje um escritor brasileiro. Um Guimarães Rosa ou um Carlos Drummond de Andrade certamente poderiam receber o prêmio.

Malu Machado disse...

Olá, já repassei a divulgação do blog no facebook e pelo twitter. Parabéns pela manutenção deste espaço. Por favor, corrijam a informação sobre o Neruda. E ADOREI o título.

Beijo grande

Carolina disse...

Não entendi Ailton... Coloquei Pablo Neruda como chileno, não?

Cíntia Marcellos disse...

Surpresa!!! Na frente do nome do Pablo Neruda aparecia mesmo "México". Foi eu quem corrigiu, Carol!

Beijos,
Cíntia

Ailton Augusto (in Argentina) disse...

Cíntia,

Obrigado pela correção. No dia que eu li e comentei estava com pressa porque terminava meu tempo na lan house.

Carol disse...

Falha Nossa! rs. Cíntia, obrigada pela revisão. Abraços, Carol.